R. Monte Alegre, 1004 (Unid I) e 1025 (Unid II). Aparecida (próx. SESC) Uberlândia/ MG
Unidade I: (34) 3214- 8008 - Unidade II: 3304-2900 / 9 8850-2400 (Whatsapp único) contato@clinicabemviver.psc.br

AUTO SABOTAGEM

shutterstock_117884191

Você já ouviu casos em que uma pessoa que tinha pai alcoolista casou-se com um marido também alcoolista? Ou que tinham pais violentos e acabou casando-se com um marido que também a agride? Ou que nunca “acerta” na escolha de um namorado (a)?  Isso não é uma coincidência. Isso é uma repetição dos padrões que ela teve na infância.

Devemos dar mais atenção aos comportamentos que se repetem em nossas vidas, pois eles podem nos sinalizar uma auto sabotagem, ou seja, uma tendência a repetir atitudes destrutivas. Muitas vezes não percebemos que nós mesmos estamos nos sabotando porque já estamos funcionando no “automático”.

A auto sabotagem é acompanhada por sentimentos negativos como raiva, frustração, culpa, mágoa, tristeza, entre outros.

Mesmo sendo prejudicial a sua vida, a pessoa repete o padrão dos pais, porque mesmo de uma forma velada, ela acha que alcançará o amor e a aceitação dos pais se ela for como eles e fizer o que a família já ensinou, como sendo a única forma existente. Ela mantém uma lealdade familiar. E com isso, acaba auto sabotando para manter o padrão da família.

Mas é possível mudar. A primeira coisa a se fazer é tomar consciência das repetições que você tem feito. Depois, você deve abrir mão de certas crenças limitadoras para conseguir ter uma atitude positiva diante das circunstancias da vida.

Abra mão de pensamentos como “Eu nunca encontrarei a pessoa certa para minha vida”, “A minha vida nunca vai melhorar”, “Não sou boa o suficiente para ser amada”, “Eu nunca conseguirei ser feliz”, “Nunca ganharei o suficiente para ter aquilo que eu queria”. Essas crenças podem ser adquiridas na infância ou no decorrer da vida.

 E para as coisas começarem a mudar e a melhorar, você tem que dá um basta nessas crenças centrais negativas que você tem sobre si mesma, crenças de desvalor, desemparo e desamor. Você terá que rever seu padrão de escolha e muda-lo.

Parece difícil, mas é possível mudar essas crenças. Uma psicoterapia lhe ajudará muito a fazer isso, com as técnicas especificas que possui.

As palavras e o que você pensa sobre você tem muito poder e podem lhe motivar a mudar esses pensamentos negativos ou então a mantê-los. Você deverá fazer sua escolha: manter o padrão ou sair desse ciclo de uma vez por todas!

Abandone as ideias depreciativas que você tem de você mesma! E mude! Escolha o melhor para você!

Cynthia Lopes

Psicóloga Clínica, com MBA em Gestão Estratégica de Pessoas, Especialista em Psicologia Clínica na Abordagem Comportamental Cognitiva, ambos pela Universidade Federal de Uberlândia (UFU). Pós Graduada em Terapia Familiar Sistêmica, pelo Instituto Eirene do Brasil. Contato: cynthia@clinicabemviver.psc.br Telefone: (34) 3214-8008. Clínica Espaço Bem Viver – https://www.fb.com/espacobemviverudi