R. Monte Alegre, 1004 (Unid I) e 1025 (Unid II). Aparecida (próx. SESC) Uberlândia/ MG
Unidade I: (34) 3214- 8008 - Unidade II: 3304-2900 / 9 8850-2400 (Whatsapp único) contato@clinicabemviver.psc.br

ABORDAGENS DA PSICOLOGIA

Analise Transacional

A Análise Transacional é uma teoria da personalidade que fundamenta uma psicoterapia sistemática com objetivo de crescimento e mudança pessoal. A teoria foi escrita pelo médico psiquiatra canadense, Eric Berne, e estuda pensamentos, sentimentos e comportamentos das pessoas. É uma ferramenta de autoconhecimento, com a qual percebemos como nos relacionamos com outras pessoas, como transmitimos nossas ideias, como estamos destinando nossa vida, entre outros aspectos. Possui um conjunto de técnicas de mudança positiva que possibilita uma tomada de posição quanto ao ser humano e visa melhoria contínua, sendo que quanto mais você se conhece, mais habilidades de como utilizar sua comunicação terá e estará em constante aprimoramento.

 Psicodrama

 O Psicodrama é uma das várias teorias da Psicologia e é utilizada como base por profissionais que propiciam o desenvolvimento de pessoas, seja no contexto individual ou grupal. Essa abordagem foi criada por Jacob Levy Moreno, que defende que todo o processo, seja com o grupo ou com indivíduo, se dá de maneira mais eficaz por meio da ação.

Sendo assim, o profissional que utiliza o psicodrama para pautar seus atendimentos tem como técnicas disponíveis: a teoria do Teatro da espontaneidade, teoria da criatividade, a teoria dos papéis, a tele, a empatia, o co-inconsciente, e a matriz de identidade, todas para apoiar reflexões e vivências que ajudem o cliente a encontrar soluções mais espontâneas e criativas para situações diversas do cotidiano.

Socio_historica

A Psicologia Sócio-Histórica é uma vertente teórica da Psicologia, cujas proposições ligadas ao conhecimento do homem e sua subjetividade estão guiadas pela concepção materialista dialética. Tem como base a teoria de Vygotsky e outros pensadores russos, que se pautam no entendimento de que o sujeito se constitui ao se apropriar dos significados dos signos a ele apresentados nas relações sociais. Neste processo, significados que são coletivos são singularizados para que se possa objetivá-los em ações, pensamento, emoçõesPortanto, é a partir destes sentidos que o sujeito tem possibilidade de compreender e agir no mundo.

terapia cognitiva comportamental

As sessões são semiestruturadas e diretivas, orientadas à resolução de problemas. O processo terapêutico é focal, o que requer uma definição concreta e específica dos problemas do paciente e das metas terapêuticas. Terapeuta e paciente têm papel ativo. Envolve uma relação genuína, baseada em empatia terapêutica, em que o terapeuta é amigável, caloroso e genuíno. Possui tempo curto e limitado, tornando-a apropriada ao contexto socioeconômico atual.

Caráter didático: o objetivo não é unicamente ajudar o paciente com seus problemas, mas dotá-lo de um novo instrumental cognitivo e comportamental, através de prática regular, a fim de que ele possa perceber e responder ao real de forma funcional, sendo o funcional definido como aquilo que concorre para a realização de suas metas. Nesse sentido, as intervenções são explícitas, envolvendo feedback recíproco entre o terapeuta e o paciente.

É colaborativa, ou seja, reflete um processo em que ambos, terapeuta e paciente, têm um papel ativo e estabelecem colaborativamente metas terapêuticas, as agendas de cada sessão, tarefas entre sessões, dentre outros.

Apresenta aplicabilidade eficaz, segundo estudos controlados, em várias áreas: depressão, transtornos de ansiedade (síndrome de pânico, fobias, transtorno obsessivo-compulsivo, transtorno de estresse pós-traumático, transtorno de ansiedade generalizada), esquizofrenia, transtorno bipolar, terapia com casais e famílias, dependência química, ideação e comportamentos suicidas, transtornos alimentares, transtornos de personalidade, dificuldades interpessoais, terapia com crianças e adolescentes, terapia em grupo.

 

Titulos_Abordagens_BemViver

 

Desenvolvida por Sigmund Freud, médico, que se formou em 1881. A Psicanálise é um campo clínico e de investigação teórica da Psique humana.

Compreendido enquanto sujeito do inconsciente.

O conceito de inconsciente introduzido por Freud deve-se à proposição de uma realidade psíquica, característica dos processos inconscientes, o conhecemos somente por suas formações, atos falhos, sonhos, e sintomas diversos expressos no corpo.

Segundo Freud a interpretação é o meio mais simples e a base mais sólida para conhecer o inconsciente.

A mente inconsciente é um outro “eu”, temos no inconsciente uma outra personalidade atuante, em conjunto com a nossa consciência, mas com liberdade de associação e ação.

O método de tratamento é caracterizado pela aplicação da técnica da associação livre, onde o paciente ou analisando é solicitado a dizer tudo o que lhe vem á mente.

É uma teoria da personalidade e um procedimento de Psicoterapia.

O método básico da psicanálise é o manejo da transferência e da resistência.

As, angústias, sonhos e fantasias são importantes na escuta, como também todas as experiências vividas são trabalhadas em análise.

Escutando o analisado, o analista tenta manter uma atitude empática de neutralidade, uma postura de não julgamento, visando a criar um ambiente seguro e fazendo assim fluir o processo terapêutico.

 

 Gestalt_terapia_Titulos_Abordagens_BemViver (1)

 

Gestalt terapia é a abordagem que possui como objetivo maior, potencializar o autoconhecimento e o crescimento pessoal, focada no indivíduo e nas circunstâncias do presente, o cliente passa a elaborar percepções das suas experiências sem julgamentos. Nesta abordagem o presente é tratado como foco vivencial o aqui-agora é extensão e ampliação da Psicologia da Gestalt. A teoria gestaltista diz sobre como nos concentramos e damos acepção às nossas experiências e ao mundo.